In Sem categoria

De que forma é que a marca pessoal tem impacto no percurso profissional? E como trabalhá-la a fim de definir o seu posicionamento?
Ao contrário do fenómeno que se tem verificado, posicionamento de marca pessoal não é ter presença na internet ou ser um networker entusiasta!

Quando falamos de um processo de branding personal, este é bem mais complexo do que o redutor marketing pessoal de que tanto se fala. Deixamos alguns dos pontos chave que deve considerar para que a sua marca pessoal tenha o impacto que pretende:

(re)Descubra a sua identidade – Somos únicos, ainda assim fazemos as mesmas coisas que muitas outras pessoas e, normalmente, não paramos para perceber o que realmente nos torna diferentes. É fundamental que o profissional conheça os seus pontos fortes, os menos positivos, bem como todo o seu potencial, mas é tão ou mais importante que tenhamos consciência da percepção que os outros têm de nós – neste caso, o entrevistador. Faça uma avaliação 360º da sua marca pessoal e perceba as diferenças entre a forma como se percepciona e como as pessoas à sua volta reconhecem o que faz por elas, bem como o valor que lhes traz.

Defina uma estratégia para a sua marca pessoal – Como é que quer ser conhecido e reconhecido? Quando? Sem objectivos a curto, médio ou longo prazo, bem como uma correcta identificação dos canais certos para divulgar a sua marca pessoal dificilmente vai conseguir potenciá-la e alcançar os seus objectivos. Obtenha o máximo de informação sobre a empresa na qual quer trabalhar, tais como as suas atividades comerciais e posição no mercado, identifique quem são seus principais concorrentes e o que a diferencia. Perceba se existe alinhamento entre quem é, o que tem para oferecer à empresa e faça os ajustes fundamentais para corresponder a essas necessidades, tendo sempre em consideração três pontos basilares – autenticidade, confiança e credibilidade.

Comunique o seu valor – Estar presente nas redes sociais é importante, mas não crítico para o seu sucesso. Uma presença que não esteja alinhada com aquilo que a sua marca pessoal representa, que não transmita autenticidade, e que não acrescente valor a quem interage consigo online, poderá arrasar por completo as possibilidades de ser contratado. Hoje, mais de 94% das empresas usam as redes sociais para procurar informação sobre potenciais candidatos, pelo que decidir em que rede social deve incrementar a sua posição, e de que forma comunica, deverá ter em conta o público-alvo e os objectivos definidos na sua estratégia. A visibilidade é fundamental, mas só surtirá o efeito desejado quando efectuada de forma a que lhe permita aparecer no radar de quem lhe interessa. E lembre-se, que tal pode ser conseguido também no mundo offline, e em muitos casos, de forma mais eficaz. Todas as suas acções deixam uma marca junto dos seus interlocutores, e é a forma como os faz sentir que definirá a sua reputação e reconhecimento no mercado de trabalho.

Marca Pessoal – Basta Aparecer?

por Nelson Emilio tempo de leitura: 2 min